Não tenho nenhum seguidor e nem pretendo, escrevo para aliviar minha mente. Acho que o ego é tão do homem quanto o oxigênio é vital ao mesmo, a diferença é que o oxigênio, sendo retórico, é vital. Já o ego faz parte de uma pequena parte do sujeito. Ando pensando no quanto este ego nos faz mal, este que nos submete à diversas besteiras e quando não há um pingo de informação e sabedoria ao lado deste “ego”, somos vitimas de nós mesmos. Que bom se o homem um dia viesse a perder esta parte egoísta e estética, logo burra, de tentar parecer/ser dono da razão e assim se vangloriar. Como diria um amigo; muito sábio é aquele que afirma não saber nada de nada. Trago esse discurso para o cotidiano, opinar e afirmar são coisas distintas, logo, saibamos brincar de “donos da razão”.